lundi 12 mai 2008












QUIETA !

( um solo para a Paula Rego)

Olho o quadro da pintora Paula Rego

com o mesmo titulo, vejo uma mulher sentada

de braços cruzados, escondidos atras das costas,

de pé descalço um sobre o outro, a boca fechada,

o corpo em tensao, ela é provocante e submissa.

O cinto do vestido esta desapertado…

Detalhe que me reveala a sua dupla postura,

disponibilidade ambigua, oferta e fechada.

Tento agir na periferia do gesto pictural

resistir à aparente imobilidade do personagem

e de combater a sua violência,

nao esposar o conforto da fuga, inclinar-me até à queda,

quando a fadiga nos surpreende.

Enfim, se eu gardo a postura vertical face aos eventos,

é porque me dou um certo tempo para vos abordar.

LM, Paris Setembro 18-09-2007.

Criaçao em 2002, Tremplin Théâtre, Paris.

Textos poéticos : Pedro Tamén, José Luis Peixoto.

Coreografia, interpretaçao, fatos :lidia martinez

Musicas :Luc Ferrari, Gordon, Pena, Tozé.

Paisagem sonora :Thierry Jousse, LM.

Criaçao luzes : Clermonth Pithan, Patricia Godal

Vidéo : Valeria Richeti

Este espectaculo foi apresentado

em Paris no Théâtre de L’échangeur,

em Junho de 2006.

lidia martinez reside em paris desde 1972, onde trabalha no dominio

das artes plasticas, dança e escrita.

Representou a França e Portugal em diversos eventos internacionais.

Prepara em Paris três novos espectaculos para 2008.

Um duo sobre a obra da Paula Rego, e duas peças curtas de teatro.

Uma exposiçao para Portugal sobre o mito da inez de Castro,

encontra-se em elaboraçao.

http://www.autre-cas.blogspot.com/

2 commentaires:

Dr. Strangeluv a dit…

A Paula Rego tem um poder soberbo de nos fazer arrepiar e repensar as sórdidas situações do quotidiano.

Continuação de ideias interessantes como esta.

LM,paris a dit…

Bonjour dr!
obrigada pelo comentàrio , pela passagem aqui na dança-clube...
é verdade o que diz sobre os quadros da Paula Rego. Uma grande força interior, uma tensao nos personagens e suas relaçoes ambiguas, lançam pistas de leitura.
Algo de misteriosamente violento, adormecido, que pode vir acordar em nos, e findar o gesto pictural.
Merci e passe sempre, tà? Abraço de Paris, LM