vendredi 4 septembre 2009











Aqui so me quedo num respirar comum se o desejares ainda.

Nada me importa agora,

Jà vivi tudo fora de horas.
Escreveram tanta coisas sobre nos…

Nao estavas atento ao rumor da historia ?

Envolveram-nos em lendas e a fonte foi cùmplice e chorosa.

Houve quem te julgasse com firmeza.
Nao sei se vou gostar de viver numa eternidade fora da pedra.

Desprotegida andei eu quando te amava…

( ... )

LM, 09

3 commentaires:

pn a dit…

Pungente de tão belo esse falar sentido da desprotegida INÊS... fresca bica de um amor tão breve, só na pedra perdurado e na lenda epigrafado...

L'émotion bien sentie d'un amour si maudit.

Bravo!

LM,paris a dit…

caro pn, so tu escreves assim, so tu me dàs esse alento de quem nao tem jà lingua e mal se aguenta nas duas que lhe restam. agradeço do fundo do coraçao.
bjos,
Lm

mj a dit…

Olá Lidia

Pois... talvez fiquemos desprotegidos, por Amor - Como Pedro e Inês!

Talvez também o Amor possa, por outro lado, proteger e ser Vivo - Vida...

Hoje, apesar da minha longa ausência pela blogosfera, pela leitura, não poderia deixar de dizer:

Natal é...

*
(segue a "estrelinha" * ...)

FELIZ NATAL !


Um Beijinho, MJ